ECHINODERMATA

Como abundante componente da fauna bentônica, os Echinodermata representam um táxon modelo em análises de padrões globais de diversidade, pois eles podem ser encontrados em todos os ambientes, ocupando uma variedade de nichos tróficos em diferentes profundidades. Embora seja crescente o número de estudos com equinodermos no Brasil, ainda há significativa carência no conhecimento, além de muitos problemas de identificação de espécies próximas e/ou crípticas. Neste primeiro período de projeto foram estudadas espécies de duas famílias de Ophiuroidea do Atlântico Sul Ocidental, Ophiotrichidae e Amphiuridae. Tais estudos basearam-se em dados morfológicos e moleculares para delimitação das espécies. Dentre os Ophiotrichidae foram estudados exemplares procedentes das regiões Sudeste e Sul, depositados no ZUEC e MZUSP. Estes estudos permitiram redescrever e confirmar a validade de Ophiothrix trindadensis Tommasi, 1970, além de definir o neótipo desta espécie nativa do Brasil. Outros estudos, com espécimes de Ophiothela, revelaram que estes estão intimamente relacionados com O. mirabilis e O. danae, mas representam uma nova linhagem. Ophiophragmus e Amphiodia (Amphiuridae) também estão sendo estudados e um total de cinco espécies de Amphiodia spp e seis  de Ophiophragmus spp foram registradas no Brasil.

Espécies estudadas 2019 - 2020

ECHINODERMATA Ophiuroidea

 

Ophiotrichidae

Ophiothrix (Ophiothrix) trindadensis Tommasi, 1970

Ophiothrix (Ophiothrix) angulata (Say, 1825)

Ophiothela mirabilis Verrill, 1867

Amphiuridae

Amphiodia planispina (v. Martens, 1867)

Amphiodia pulchella (Lyman, 1869)

Amphiodia riisei (Lütken, 1859)

Amphiodia trychna H.L. Clark, 1918

Ophiophragmus brachyactis H.L. Clark, 1915

Ophiophragmus cubanus (A. H. Clark, 1917)

Ophiophragmus luetkeni (Ljungman, 1872)

Ophiophragmus pulcher H.L. Clark, 1918

Ophiophragmus septus (Lütken, 1859)