Resumo

Consolidação de coleções científicas de invertebrados marinhos: estratégias para conservação da biodiversidade

Período de vigência: 2019-2024

A grande maioria das coleções, obtida com o auxílio financeiro de entidades de fomento à pesquisa, foi coletada em diferentes regiões do Brasil ainda não estudadas. A raridade deste material também está nas profundidades amostradas, de até 3300m, em localidades que incluem grandes cânions submarinos. No entanto, parte desse material ainda não está identificada e/ou necessita de um refinamento taxonômico para que possa ser traduzido em biodiversidade e disponibilizado à comunidade científica. Desafio 1: a obtenção de espécimes desses locais de difícil acesso, já está superada diante da grande quantidade de exemplares coletados. Desafio 2: as limitações taxonômicas que se apresentam para os grupos propostos, ou seja, a falta de caracteres morfológicos e moleculares adequados para uma correta identificação das espécies. Alguns dos problemas apontados neste projeto estão relacionados com a presença de espécies pouco conhecidas e de complexos de espécies que necessitam de uma revisão. Assim, está previsto um estudo aprofundado de novos caracteres taxonômicos, tanto morfológicos como moleculares, que possibilitem a descrição da biodiversidade e propiciem bases sólidas para estudos filogenéticos propostos neste projeto e para outros que possam vir a ser realizados. Para superar este desafio, está sendo proposta a utilização de técnicas modernas de leitura morfológica e novos protocolos de extração de DNA para material biológico fixado com formalina, realidade comum de material proveniente de coletas de mar profundo. Diante do exposto, este projeto visa produzir um estudo integrado e atender à demanda das principais coleções de invertebrados marinhos macrofaunais depositadas no ZUEC-IB/Unicamp e em outros museus nacionais: Mollusca, Polychaeta, Crustacea e Echinodermata, bem como a composição de novas coleções de meiofaunais: Tardigrada e Nematoda. A complexidade em trabalhar com várias coleções que se encontram em diferentes estágios de desenvolvimento e que possuem necessidades distintas, demanda que este projeto seja estruturado de acordo com as especificidades de cada grupo taxonômico. As propostas de estudos dessas coleções serão desenvolvidas por pesquisadores especializados nos diferentes grupos de espécies, que estarão envolvidos diretamente na formação de recursos humanos para o desenvolvimento da taxonomia dos referidos grupos para o Brasil. O resultado mais abrangente será o refinamento taxonômico de mais de cem mil espécimes e o aprimoramento dos dados das referidas coleções, por meio da Rede SpeciesLink, em um banco de dados on-line, estrutura já em funcionamento no ZUEC. Desta forma, considerando o número desses exemplares que ainda aguardam por identificação, deverá ocorrer uma importante contribuição de novas espécies para a ciência, novos registros de ocorrência, assim como informações esclarecedoras para análises filogenéticas dos diferentes grupos. Desafio 3: diminuir lacunas sobre o conhecimento da biodiversidade brasileira e mundial, agregando também um maior valor científico à coleção, a partir da identificação desses muitos lotes provenientes de diversas regiões da Zona Econômica Exclusiva – Marinha do Brasil. É neste contexto de imensas lacunas de conhecimento e grandes possibilidades que se insere a presente proposta.

Museu de Zoologia - ZUEC - IB/UNICAMP
Coleções
Coleções
Laboratório